Domingo
20 de Outubro de 2019 - 
Responsabilidade e eficiência na defesa do seu direito

Controle de Processos

Esta funcionalidade permite ao cliente acompanhar o andamento do seu processo.

Newsletter

Cadastre aqui o seu e-mail e você receberá informativos do escritório.

Endereço

Av. Raja Gabaglia , 1011 , Sala 102
Luxemburgo
CEP: 30380-403
Belo Horizonte / MG
+55 (31) 93023166+55 (31) 32745697

Últimas notícias

08/10/2019 - 10h15Sistema Audiência de Custódia do CNJ é aprimoradoMudanças permitirão coleta de informações mais precisas

As audiências de custódia consistem na apresentação do preso a um juiz no prazo de 24 horas após o flagrante O Sistema Audiência de Custódia (Sistac), lançado em 2015 para apoiar tribunais na gestão de informações sobre esse instituto, está passando por reformulações para qualificar a alimentação e a análise dos dados extraídos da ferramenta. A reformulação faz parte das ações do programa Justiça Presente, parceria entre o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), após observação dos fluxos feita pelos consultores de audiência de custódia do CNJ. Na avaliação do desembargador Júlio Cezar Guttierrez, supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF), “o aprimoramento do Sistac visa otimizar a coleta de  informações, especialmente as que dizem respeito à inpidualização por estado, bem como busca a inclusão de dados mais precisos sobre raça e gênero e relatos de tortura e maus-tratos praticados no momento da prisão ou quando em custódia do estado, permitindo assim a elaboração de políticas públicas mais efetivas”. Prisão em flagrante As audiências de custódia consistem na apresentação do preso em flagrante a um juiz no prazo de 24 horas. Após a audiência, o magistrado decide se o custodiado deve responder ao processo preso ou em liberdade, podendo ainda decidir pela anulação da prisão em caso de ilegalidade. Por colocar o magistrado em contato com o custodiado no momento da prisão, essas audiências facilitam a comprovação de casos de tortura e maus-tratos, geralmente pouco notificados. No período de 1º de agosto a 30 de setembro deste ano, foram realizadas um total de 4.855 audiências de custódia em Minas, dentro do Sistac. Mais informações podem ser conferidas aqui.  Confira aqui também a íntegra do seminário realizado pela internet sobre o Sistac. *Com informações do CNJ  
08/10/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  112690
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.